Sobre Moedas | Brasil Moedas

 

Estados de Conservação

No Livro das moedas do Brasil, dos editores Claudio Amato, Irlei Neves e Arnaldo Russo, 12ª edição, localizado na página 9, está descrito os estados de conservação das moedas metálicas.


“Não existe, no colecionismo, nenhum assunto mais controverso do que a determinação do estado de conservação das moedas. Afinal, a circulação como instrumento monetário foi, e ainda é, o motivo principal do meio circulante.”

 

Se três pessoas analizarem o estado de conservação de uma mesma moeda, existe uma grande chance de não concordarem. Primeiro porque uns têm maior conhecimento e vão classificar o estado da moeda abaixo do que os outros vão classificar, por terem mais bagagem. Segundo, conforme os ângulos em que a moeda é analizada e a luz presente no ambiente, faz com que uma pessoa veja imperfeições que o outro não vê. Finalmente, por imperícia. Por exemplo, você mesmo pode em um dia classificar uma moeda como MBC/SOB, e no outro dia como MBC, por diversos motivos.

Devemos dar um desconto para moedas que circularam mais em suas devidas épocas, como a prata, o cobre, o bronze, o cupro-níquel e outros metais não nobres. Estas moedas estavam na mão do povo e faziam parte do dia a dia em negociações comerciais. Diferente do ouro que ficava em sua grande maioria, na mão da nobreza e circulava com menos frequência.

Segue abaixo a descrição dos estados de conservação das moedas segundo o Livro das moedas do Brasil, que é tido como referência nacional.

 

FLOR DE CUNHO (FC):

Flor de Cunho (GC) | Brasil Moedas

Sem apresentar o menor sinal de desgaste ou manuseio, deve ter no campo o brilho original da cunhagem. Sua orla deve ser perfeitamente cilíndrica, sem apresentar mossas ou cerceamento. Todos os detalhes da cunhagem, mesmo os mais salientes, tem de apresentar sua aparência original. Não pode haver, sob nenhuma circunstância, sinais de limpeza física ou química da moeda.

 

SOBERBA (S):

Soberba (S) | Brasil Moedas

Deve apresentar aproximadamente 90% dos detalhes da cunhagem original. Deve ter no seu campo, algum brilho da cunhagem e sua orla admite uma pequena imperfeição (menos de 10%) da sua aparência original, proveniente de um pequeno desgate, ou pequeno sinal de manuseio. Admite-se sinais de uma limpeza, que não ocasione no seu campo, riscos ou manchas.

 

MUITO BEM CONSERVADA (MBC):

Muito Bem Conservada (MBC) | Brasil Moedas

Deve apresentar aproximadamente 70% dos detalhes da cunhagem original, porém seu nível de desgaste deve ser homogêneo. Sua orla admite uma média imperfeição (menos de 20%) da sua aparência original, proveniente de um desgaste médio, ou um médio sinal de manuseio. Admite-se sinais de uma limpeza, mesmo que ocasione no seu campo, pequenos vestígios de riscos ou manchas. Seu aspecto geral deve ser agradável e de fácil identificação.

 

BEM CONSERVADA (BC):

Bem Conservada (BC) | Brasil Moedas

Os detalhes da cunhagem original devem aparecer em aproximadamente 50%, admitindo-se que alguns detalhes estejam mais aparentes em determinados setores da moeda do que em outros, principalmente nos detalhes altos da cunhagem, letras e números. A legenda e a data da moeda devem ser visíveis a olho nú, sem se ocorrer a utilização da lente. A orla pode estar imperfeita em até 30% da sua aparência original.

 

REGULAR (R):

Regular (R) | Brasil Moedas

Deve apresentar um mínimo de 25% dos detalhes da cunhagem original, com distribuição irregular dos sinais de forte manuseio sobre o campo da moeda e de sua orla. A legenda e a data da moeda devem ser observadas com o auxilio de uma lente.

 

UM TANTO GASTA (UTG):

Um Tanto Gasta (UTG) | Brasil Moedas

Apresenta somente a silhueta da figura principal, e as letras da periferia, quando existirem, quase sendo engolidas pela orla desgastada. Não são colecionáveis, a não ser em casos de moedas extremamente raras.


Obs: quando comparada ao padrão internacional de estados de conservação, nossas letras referentes a cada estado da moeda acompanham as seguintes letras em inglês:

FC=UNC   

S/FC=AU   

S=EFouXF   

MBC/S=VF/EF   

MBC=VF   

BC/MBC=F/VF 

BC=F   

R/BC=VG   

R=G   

UTG=POOR